terça-feira, 10 de agosto de 2010

We Are The Fallen

Voltei! Depois de um período sem criatividade (e paciencia com o computador idoso do escritório), volto com mais um post musical. E continuo com a série sobre bandas novas: a bola da vez é a Evanesc... ops, We Are The Fallen!







Tudo começou com o Amy Lee's Band, ops, Evanescence. Sim, eles mesmos. Era uma vez um guitarrista que abandonou sua banda no meio de uma turne na Alemanha. Era uma vez uma vocalista doida que resolveu demitir todos os integrantes da sua banda. Todos esses ex-integrantes se reuniram e chamaram uma ex-American Idol e formaram uma outra banda. Bem, basicamente essa é a história de We Are The Fallen.
Sim, voce acertou em cheio se achou que o nome da banda era uma brincadeira com o nome do "primeiro" álbum do Evanescence, Fallen. A primeira ideia era The Fallen, mas, como já existia uma outra banda com esse nome, a banda acabou adotando o We Are na frente.

Em maio de 2010 a banda lançou seu primeiro cd, Tear The World Down, esse da capa maneiríssima acima, e logo alcançou elevados postos na Billboard. Bury Me Alive é o primeiro single, que faz parte da trilha sonora de The Vampire Diares.



O ÁLBUM


Músicas:

01 - Bury Me Alive
02 - Burn
03 - Paradigm
04 - Don't Leave Me Behind
05 - Sleep Well, My Angel
06 - Through Hell
07 - I Will Stay
08 - Without You
09 - St. John
10 - I Am Only One
11 - Tear The World Down

Existe ainda um cover de Like A Prayer, da Madonna, que ficou realmente muito bom, mas nao está no tracklist oficial. Mas vale a pena conferir.

A sonoridade do cd é bem ao estilo do Evanescence, e a voz da vocalista Carly Smithson tem o mesmo timbre da voz de Amy Lee. Nao espere nada muito criativo (a melhor música é, na minha opiniao, St. John) e as letras também nao trazem nada de novo. Mas é um álbum escutável, legal. Vale a pena ouvir.

Aqui o link para o primeiro video da banda, Bury Me Alive, realmente muito bom!



INTEGRANTES




Carly Smithson - vocal
Ben Moody - guitarra
Rocky Gray - bateria
John LeCompt - guitarra ritmica
Marty O'Brien - baixo


Nao, essa nao é a Amy Lee, e ela nao encheu seu braço de tatuagens. Essa é a Carly Smithson, finalista do American Idol e atual vocalista do We Are The Fallen. Será que qualquer semelhança é apenas mera coincidencia?

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

O Segredo de Brokeback Mountain

Olá! Agora que eu coloquei na cabeça que eu vou ser uma blogueira de respeito, postarei pelo menos uma vez ao dia! E vamos logo ao nosso próximo post literário-cinematográfico de hoje, que é sobre o livro que deu origem à minha primeiríssima resenha no Skoob: O Segredo de Brokeback Mountain.





SINOPSE

Jack Twist e Ennis del Mar se conhecem ao pastorear ovelhas na fictícia montanha Brokeback, no estado americano Wyoming, em 1963. Os dois têm menos de 20 anos. Numa noite clareada por um fogo improvisado, ao som de uma gaita tosca, bebem, falam de rodeios e revelam um ao outro aspectos pesados de suas origens. A certa altura, a cumplicidade estabelecida quebra as idéias feitas de virilidade e dá lugar a uma relação homossexual que, de início, dura um verão. Assombrados por histórias de discriminação no Oeste americano, herdeiros de toda uma tradição caubói, eles se evitam, casam e têm filhos. O reencontro, entretanto, acontece. E se repete. O conto atravessa duas décadas da hesitante relação entre dois homens criados em regiões opostas do estado, unidos por desesperanças e solidão. Ennis, abandonado pelos pais, leva uma vida carimbada pela convenção: casamento, filhos, empregos em fazendas de gado. Jack, filho de um brutal vaqueiro da região, casa-se com a rica herdeira de uma empresa de equipamentos agrícolas. A história é narrada por uma escritora que alcança as mais delicadas notas do universo masculino ao descrever uma afeição marcada por sigilos, amores e brutalidades.


RESENHA

Tudo começou com a queda de um mito que eu tinha sempre em mente: os livros originais são sempre melhores que suas adaptações cinematográficas. Bem, eu estava redondamente enganada quanto a esse livro em particular. Essa fato culminou com a minha primeira resenha no Skoob, que você vê em seguida:

"Bem, essa é a primeira resenha que faço, porque esse livro foi algo inédito na minha vida. Pela primeira vez eu li um livro que virou filme... e achei o filme melhor. Na verdade, o livro é um pequeno conto, emocionante sim, mas muito vago. Já o filme... O filme foi maravilhoso, intenso, emocionante! O filme conseguiu passar mais emoção do que o livro. Ang Lee conseguiu passar mais emoção do que Anne Proulx. No filme eu podia sentir o que eles sentiam, mas no livro foi tudo muito superficial. Talvez seja o modo de escrever da Anne, muito cru e direto ao ponto. Mas eu achei que a história renderia mais. Enfim... Não sei ao certo o que faltou, ou onde faltou. É a mesma belíssima história de amor, totalmente igual ao filme (com diálogos fielmente descritos, inclusive), mas faltou algo mais. Algo que Ang Lee soube o que era, e Jake Gyllenhall e o saudoso e genial Heath Ledger também."


Fonte: http://www.skoob.com.br/estante/livro/1117575




O FILME


Brokeback Mountain (no original) estreou em 2005 nos EUA com Jake Gyllenhaal no papel de Jack Twist, e Heath Ledger (1979 - 2008) como Ennis Del Mar. O filme conta ainda com a atriz Anne Hathaway como a esposa de Jack. Dirigido com uma sensibilidade sem igual por Ang Lee, o filme ganhou 3 Oscars, 4 Globos de Ouro, 2 MTV Movie Awards, O Leão de Ouro no Festival de Veneza, o BAFTA e o Independent Spirit Awards, sendo um sucesso de crítica. O filme mostra de forma mais emocionante e intensa do que no livro o inexplicável amor entre os dois caubóis que vão pastorear ovelhas nas montanhas, no inverno de 1963. Uma história tão bela que nos leva às lágrimas com facilidade, como qualquer história de amor impossível (para a época) Destaque para a trilha sonora, que ganhou um Oscar e um Globo de Ouro, com uma bela canção dedilhada no violão, que já emociona desde a primeira cena. Um filme feito para agradar a todos os fãs de uma boa história de amor. Na foto acima, a síntese de tudo o que Brokeback significa para Ennis Del Mar, e o momento mais emocionante do filme (aquele que conseguiu me levar às lágrimas, confesso): o postal da montanha Brokeback e as duas camisas unidas no armário de Ennis.






HEATH LEDGER

A Toca da Coelha dedica este post à memória de Heath Ledger, grande ator que teve sua brilhante carreira interrompida em 22 de Janeiro de 2008. Por Brokeback Mountain ele foi indicado a nove prêmios pelo mundo, e venceu dez premiações póstumas (entre elas um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante) pelo seu trabalho como Coringa em Batman, O Cavaleiro das Trevas, seu último trabalho completo. Ledger deixou órfã Matilda Rose, de 4 anos, fruto de seu relacionamento com Michelle Williams, sua esposa no filme Brokeback Mountain. Jake Gyllenhaal é o padrinho da menina, que recebeu todos os prêmios póstumos do pai. Fica aqui minha homenagem.

Mais informações sobre Heath Ledger: http://pt.wikipedia.org/wiki/Heath_Ledger

terça-feira, 3 de agosto de 2010

ReVamp

Olá para todos! Lá vamos nós com mais um post, porque agora eu peguei o ritmo do negócio! Mas vamos logo ao que interessa.

O que você acha que quer dizer o título do post de hoje? Dez segundos para você tentar descobrir. Se acha que é um novo livro de vampiros (coisa que essa Coelha aqui adora!)... Está redondamente enganado! ReVamp não tem nada a ver com vampiros (apesar do nome) e tampouco é um livro. Estamos falando de uma banda holandesa de Symphonic Metal fundada em 2009 pela vocalista Floor Jansen.




Tudo começou em 2009 com o fim da banda After Forever (snif...), antiga banda da vocalista Floor Jansen (pronuncia-se "Flôr Ianssem") Logo que a banda encerrou suas atividades, Floor anunciou que já estava empenhada em montar uma nova banda, e, na ediçao de 2009 do Metal Female Voices Festival, onde cantou Follow in the Cry junto com Simone Simons da banda Epica, ela anunciou ao mundo o nome de sua nova banda: ReVamp, que em inglês significa Renovar.

Após o anúncio oficial, Floor começou a sua busca pelos músicos que comporiam a nova banda. Ainda naquele ano, ela postou no YouTube dois vídeos com amigos famosos do metal lhe desejando boa-sorte, entre eles, Tarja Turunen, Simone Simons, Liv Christine (vocalista do Leaves' Eyes), Marco Hietala (baixista e vocalista do Nightwish) entre outros. Em Novembro, ela anunciou que estava procurando integrantes para sua banda ao vivo. Logo depois desse anúncio, fãs da América Latina assinaram uma petição para trazer a banda ao país, detalhe: sem que eles tivessem ainda nenhuma música gravada! Isso é que é ser fã! Floor agradeceu no Twitter em português, e, em dezembro daquele ano, ela postou no site oficial da banda o sample da primeira música: Head Up High.

Em Janeiro desse ano, Floor anunciou os novos integrantes e que as gravações já haviam começado. Em Março a gravadora Nuclear Blast anunciou o lançamento do primeiro álbum homônimo do ReVamp.




INTEGRANTES


Floor Jansen - vocal

Waldemar Sorychta - guitarras e baixo

Joost van den Broek - teclado e piano

Koen Herfst - bateria



FAIXAS

01 - Here's My Hell

02 - Head Up High

03 - Sweet Curse

04 - Million

05 - In Sickness 'Til Death Do Us Part: All Goodbyes Are Said

06 - Break

07 - In Sickness 'Til Death Do Us Part: Disdain

08 - In Sickness 'Til Death Do Us Part: Disgraced

09 - Kill Me With Silence

10 - Fast Forward

11 - The Trial Of Monsters

12 - Under My Skin

13 - I Lost Myself

14 - No Honey For The Damned (bonus track)

Nesse site: http://letras.terra.com.br/revamp/ você pode ver, ouvir e ler as letras e traduções das músicas do ReVamp, bem como os covers de Bad Romance (Lady GaGa), Energize Me e Face Your Demons (After Forever)

E nesse site: http://search.4shared.com/q/1/ReVamp você pode baixar o cd inteiro ou música a música. Mas não conta nada pra eles, tá?

Site oficial: http://revampmusic.com/

Twitter: FloorReVamp

"Você está me matando

Ataques silenciosos

O silêncio morde

Voce queimou todas as mentiras

Cinzas alimentarão minha vingança."

ReVamp - Kill Me With Silence

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Entrevista com Giulia Moon!

Olá mais uma vez a quem estiver lendo isso. Dessa vez eu venho dizer que esta Coelha que vos escreve ajudou na elaboração da entrevista com Giulia Moon para o blog amigo Livros, Filmes e Músicas, da minha melhor amiga Dominique. Em um trabalho conjunto envolvendo telefonemas, troca de emails e mensagens telepáticas, Nique e eu bolamos a entrevista mais perigosa da vida da fofa autora vampiresca paulistana.




Nesse link você confere na íntegra a entrevista: http://livrosfilmesemusicas.blogspot.com/2010/07/entrevista-giulia-moon.html

E no blog Phases da Lua você pode ver o que a Giulia diz sobre a entrevista (e uma pequena menção a esse humilde blog. Estou ficando metida... Hehehe) Acesse: http://phasesdalua.blogspot.com/2010/07/entrevista-giulia-no-livros-filmes.html

Vale a pena conferir! Ah, e não se esqueça que a promoção para ganhar um exemplar autografado de Kaori, Perfume de Vampira continua até o dia 06/08 no Livros, Filmes e Músicas! Se voce ficou curioso sobre a história da nossa vampira japonesa preferida, corra que ainda dá tempo!

Maria Antonieta

Olá! Resolvi voltar a postar depois de um longo tempo. E vou dar mais ênfase agora aos livros! Sim! E começo essa nova fase do Toca da Coelha com um livro maravilhoso, lindo, enorme, muito esclarecedor, e que virou filme. Estou falando de Maria Antonieta, de Antonia Fraser, o livro que conta a história da jovem princesa Antoine da Áustria, que saiu de seu país natal para ser a rainha da França, e uma das personalidades mais odiadas da História.



O LIVRO




Sinopse do livro:

Antonia Fraser retraça a vida pública e privada de Maria Antonieta. Com objetividade e precisão, ela examina detalhadamente a a personalidade e a tragetória da rainha que foi decapitada em função da Revolução Francesa. Odiada e vista sempre com desconfiança pelo povo francês, Maria Antonieta teve sua vida marcada pela intensa família e a monarquia da violência revolucionária.

Fonte: http://skoob.com.br/livro/2056



Resenha:

Uma desconcertante e reveladora biografia de uma das personagens mais injustiçadas da História. Pobre Antonieta! Era apenas uma garota não muito inteligente, que gostava de viver a vida, e acabou demonizada. A História nao seguiu seus padrões com ela. Ao invés de ser construída sobre as opiniões da nobreza, como é mais normal, com Antonieta ela foi construída sobre fofocas e livretos escandalosos inventados pelo povo, que nem ao menos a conhecia de verdade. As versões de pessoas que conviveram com ela durante sua vida, como Madame Campan, por exemplo, foram esquecidas, embora existam. Antonia Fraser fez um bom trabalho mostrando ao mundo essa mulher sensível, esforçada, boa mãe e, apesar de tudo, uma esposa dedicada. Ela era uma pessoa do Bem, que se importava com o povo. Ela nunca disse a famosa frase: "Se não têm pão, que comam brioche." E que fim de vida terrível que ela teve! O livro mostra algo que as aulas de História nao ensinam: como a Revolução Francesa foi algo violento, insensível e irracional, que fez homens agirem como animais selvagens. E como a nobreza, que também é humana, sofreu com tudo isso. Não tem como nao sentir pena dessa mulher, e admiração. Ela foi uma rainha até o último momento. Que coragem, e que majestade! Parece que a História esqueceu a verdade. Quanto ódio sem fundamento, quanta violência gratuita. Eu acho que essa família merece o perdão da História. Antes tarde do que nunca.




O FILME





Marie Antoinette, de 2006, dirigido e roteirizado por Sofia Copolla, estreou em 2007 com a atriz Kirsten Dunst no papel da jovem rainha da França e ganhou um Oscar de melhor figurino. Na tela, a vida da rainha mais badalada e odiada da História ganha um contorno pop, com músicas atuais e um ritmo ágil.


Sinopse do filme:


Aos 14 anos de idade, a jovem e inocente austríaca Maria Antonieta tornou-se rainha da França. Ainda jovem, sua família arranjou para a menina um casamento com Luís XVI. Despreparada para enfrentar as desgraças políticas, Maria Antonieta foi ridicularizada pela França e, mais tarde, decapitada pela Revolução Francesa. Baseado no livro de Antonia Fraser.



Fonte: http://epipoca.uol.com.br/filmes_detalhes.php?idf=11281










A HISTÓRIA




Agora, vamos ver o que a História nos diz sobre Maria Antonieta:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Maria_antonieta



O TESTAMENTO




Uma carta de Maria Antonieta à uma irmã, escrita na Conciergerie, é considerada seu testamento. Nela, a Rainha diz:

"Eu fui educada na religião católica, apostólica e romana, aquela de meus pais, e nela eu cresci e sempre professei; não tendo (agora) nenhuma consolação espiritual a esperar, não sabendo se existem aqui (na França) ainda padres desta religião, e mesmo (se existisse ainda padres) o lugar (a prisão) onde estou os esporia muito a riscos, se eles me falassem, ainda que fosse uma só vez; Eu peço sinceramente perdão a Deus por todas as faltas que eu cometi desde que nasci. Eu peço perdão a todos aqueles que conheço, e a vós, minha irmã, em particular, de todos os sofrimentos que, sem o querer, poderia lhe ter causado; eu perdôo a todos os meus inimigos pelo mal que me têm feito. Adeus! Minha boa e terna irmã. Possa esta carta chegar até você. Pense sempre em mim. Eu te abraço de todo meu coração, assim como minhas pobres e queridas crianças, Meu Deus! Quanto me corta o coração deixá-los para sempre!"



quarta-feira, 7 de julho de 2010

Relações de Sangue


RELAÇÕES DE SANGUE, de MARTHA ARGEL

Giz Editorial relança Relações de Sangue, romance de Martha Argel que é um clássico da literatura vampírica nacional.

Relações de Sangue é um clássico da literatura vampírica brasileira. Publicado originalmente muito antes da recente febre de vampiros que arrebatou o coração dos leitores, o romance de estréia de Martha Argel ainda é adorado por uma legião de fãs. Num estilo ágil e bem humorado, e misturando romance policial com vampiros, Relações de Sangue traz uma história de mistério, suspense e sedução ambientada na São Paulo dos dias de hoje, capaz de prender a atenção do início ao fim. Com esta nova edição, uma vez mais a Giz Editorial brinda os leitores com a prosa elegante e tão característica de Martha Argel, que já há algum tempo firmou-se como um dos nomes mais importantes da Literatura Fantástica nacional.
SINOPSE
Maria Clara Baumgarten levava uma vida bem normal, até conhecer a vampira Lucila, cujos olhos castanhos grandes e inocentes enganariam até o mais desconfiado dos humanos, quanto mais a pobre Clarinha. Um vampiro traz o outro, e logo ela está às voltas com Daniel, um inescrupuloso vampiro de programa. Moreno, alto, bonito e sensual, ele precisa da ajuda das humana e da vampira para encontrar o assassino em série que está atacando suas “clientes”. Mas... e se o assassino encontrar Clara primeiro?
Página do livro no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/1013
SOBRE A AUTORA
Martha Argel é paulistana, escritora e bióloga com doutorado em Ecologia de Aves. Pela Giz Editorial, já participou da antologia Amor Vampiro. Entre vários livros de ficção e não-ficção, escreveu O Vampiro da Mata Atlântica e O Livro dos Contos Enfeitiçados. Também organizou a antologia crítica O Vampiro Antes de Drácula, junto com seu marido Humberto Moura Neto, além de ter colaborado em livros científicos, técnicos e didáticos.
*Página na rede: www.marthaargel.com.br
* Twitter: @MarthaArgel
SOBRE A EDITORA
A Giz Editorial é uma empresa jovem cujos editores somam juntos mais de 10 anos de experiência em comunicação editorial. Seu quadro de colaboradores é composto por profissionais experientes na publicação de livros e em artes gráficas. A missão da Giz Editorial é ajudar o autor a publicar os seus livros de modo profissional, com o objetivo de atingir o sucesso com os leitores. É fazer com que o autor tenha cada vez mais leitores e apreciadores de seus textos. A Giz Editorial está preparada para realizar o sonho de muitos escritores, focando sempre no mercado editorial como catalisador dos nossos objetivos.
DADOS COMPLETOS DA OBRA
Título: Relações de Sangue
Autor: Martha Argel
Número de páginas: 256
ISBN: 978-85-7855-076-9
Editora: Giz Editorial
Assunto: Literatura Fantástica
Edição: 1ª edição
Ano: 2010
Formato: 14x21
Preço: R$ 29,90
CONTATO COM A EDITORA
Maya Hatayimprensa@gizeditorial.com.br(11) 3333-3059
Giz Editorial, R. 24 de maio, 77, 10º andar, sala 1002
Centro CEP 01041-001, São Paulo, SP
* Meu pitaco:
Conheci a Martha na Bienal do Livro do RJ ano passado, e ela é a simpatia em pessoa! Na ocasião, saí de lá com o livro Amor Vampiro autografado por ela, cujo conto A Flor do Mal é um dos meus preferidos. A pouco tempo atrás comecei a ler Relações de Sangue e me apaixonei pela Clarinha, que é o tipo de mocinha que eu mais gosto! Claro que também me apaixonei pelo bonitão Daniel, né... Convenhamos... Ainda estou na metade do livro, pois estou lendo em ebook, porém, logo, logo vou adquirir o livro. E, ainda bem que eu esperei, pois vou comprar a edição nova com essa capa MA-RA-VI-LHO-SA que a Giz Editorial preparou! E seu puder trazê-lo autografado da Bienal de Sampa, hehehe, vai ser melhjor ainda! :-)

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Especial Planeta!

De volta depois de um longo e tenebroso inverno! E venho logo com uma campanha! Sim, eu adoro fazer jabá!

Bom, não é segredo que os skoobers de São Paulo e do Rio recebem, todos os meses, alguns livros da Planeta de presente. Essa editora está conosco desde o final do ano passado, sempre presente nos nossos encontros através dos seus livros. Ela já faz parte da história do Skoob! Então, nossa amiga querida e autora Janda Montenegro deu a ideia de homenagearmos essa editora que está sempre com a gente, lendo seus livros e resenhando, emprestando para nossos amigos fazerem o mesmo. E eu, como boa jabazeira, entrei na campanha! Sei que meu blog não é de grande visibilidade, mas esse post é minha humilde homenagem para a Planeta, por nos presentear com bons livros todos os meses!

PRIMEIRO LIVRO:

UM OTIMISTA INCORRIGÍVEL, de Michael J. Fox

Lição de Otimismo

Antes de começar minha resenha, devo confessar: quando esse livro caiu em minhas mãos, eu nem esperava lê-lo. Eu nunca tinha ouvido falar dele, e não tinha a menor intenção de ler. Mas, como eu tenho a (boa ou ruim?) mania de ler todo e qualquer livro que esteja ao meu alcance, decidi dar uma chance a ele. E não me arrependi. Desde as primeiras linhas você se depara com uma história leve, divertida, fácil e gostosa de ler. O autor te mostra as dificuldades da vida de um paciente de Parkinson, mas sem drama, sem apelação. Ele encara as coisas de forma otimista e esperançosa. Em vez de se fechar em seu problema (que não é nem um pouco fácil) ele dá a volta por cima para tentar encontrar a cura. E ele acaba se tornando um ícone na luta pela cura do Parkinson. A sua batalha é inspiradora... Na verdade, a sua força de vontade é que é inspiradora. Ele não descansa, e é bonito de ver isso no decorrer dos anos. Ele é uma prova de que as pessoas podem se reinventar a cada dia. O fim da sua brilhante carreira de ator não era o fim da sua vida. Era apenas o começo de mais uma brilhante jornada. E nesse caminho ele estava muito bem acompanhado por sua esposa Tracy, que me emocionou por ser um modelo de esposa - companheira, seus filhos, e amigos valiosos. Impossível não se emocionar com os diversos exemplos que ele cita ao longo do livro, principalmente a história de Christopher Reeve. É um livro para ser lido e sentido. E vivido a cada dia.

IMORTAL, várias
Amores vampirescos.
O novo livro de contos vampirescos organizado por P.C. Cast nos proporciona uma viagem fantástica pelo mito do vampiro muito mais amplo do que a série House of Night, da mesma autora. O livro também é voltado para o público adolescente, porém ele nos apresenta uma gama maior de variedades, nas visões diversas e muito criativas de oito autoras de sucesso. Já no Prólogo P.C. nos fala de modo envolvente e totalmente verdadeiro sobre a relação entre vampiros e adolescentes. Ela, como sempre, mostra-se entendida do assunto. Mas, vamos logo aos contos. Amei todos eles, pois cada um tem seu estilo próprio sem fugir do tema principal. Porém, tenho que destacar alguns entre todos. Livre, de Claudia Gray encerrou o livro com um gostinho leve e irresistível de Anne Rice. O calor de Nova Orleans, a época, a personalidade da protagonista Patricia e o fato de ela ser a primeira vampira negra que eu contemplo na literatura internacional só deixou a história mais interessante, e deliciosa. Foi uma adorável surpresa! Outro conto que me deixou presa foi Lua Azul, de Richelle Mead, que não me desapontou. A história é envolvente e dá vontade de saber mais. A fragilidade da protagonista, que tem sua vida nas mãos de um humano me deixou interessada, e o final... Dá tristeza ao saber que ela não continua nas próximas páginas! Sensação igual eu senti no conto: Perseguição de Um Homem Morto. Fiquei tão envolvida na história de Shane e Michael que vou procurar ler a série Morganville Vampires. Afinal, não é sempre que você vê a amizade verdadeira entre humanos e vampiros. Esses são meus favoritos, mas também devo citar a criatividade de Kristin Cast, ao relacionar vampiros às Fúrias gregas antigas; o surpreendente Amor Assombrado, onde nada é o que parece e que me fez nunca mais ouvir To Know Him Is To Love Him sozinha à noite...; Bons Modos à Mesa e sua história intrigante e charmosa; o conto de fadas soturno Farra, intenso e sombrio; Transformação, instigante, apaixonante e diferente em sua história de amor imortal única. Enfim, um livro que vale a pena, desde a linda capa, até a apresentação final das autoras feitas por P.C. Totalmente recomendado!

NOITE ETERNA, de Claudia Gray (resenha vencedora da Resenha Premiada)
Surpresa!!!
A primeira vez que eu li algo de Claudia Gray (pseudônimo da americana Amy Vincent) foi na coletânea Imortal, organizada por P.C. Cast e lançada aqui pela editora Planeta. Seu conto, Livre, é o último do livro, e fecha a sequência com chave de ouro. Me apaixonei pela história e fiquei ansiosa para ler mais livros da autora. Pouco tempo depois, eis que surge Noite Eterna. Logo que eu ganhei o novo livro, o devorei em poucos dias! A Claudia sabe como conduzir uma história. A cada final de capítulo, você fica louco para ler o próximo, e cria-se um círculo vicioso que te faz perder horas de sono. Os personagens são cativantes, a narrativa é intrigante, e a sequência de acontecimentos e reviravoltas faz com que a história não pare. Logo de cara eu gostei da Bianca, por sua simplicidade, sua "humanidade". Ela é uma garota como qualquer outra, como qualquer uma que você encontra por aí. Seus sentimentos, seu jeitinho, até mesmo se confundem com os nossos. Quem nunca foi tímido ao extremo, ou nunca sentiu como se não pertencesse a determinado local? Todos nós já experimentamos as dores e delícias de ser adolescente. E o Lucas, ao contrário, é o cara misterioso, que ninguém sabe de onde veio, para onde vai, quem é... E depois de várias conjecturas e fantasias que rodam em nossa cabeça, a Claudia nos dá uma reviravolta bombástica, vira tudo do avesso e nos deixa de queixo caído! Simplesmente nos faz de bobos. E isso é muito bom, ser surpreendido. Qual não foi minha surpresa, também, ao reencontrar Patricia, a personagem que tanto me encantou em Imortal? A bela vampira negra, uma das poucas que eu já vi na Literatura. E o melhor de tudo é revê-la em outra época, numa história totalmente diferente. Isso é ser versátil!Enfim, numa época quando histórias de vampiros pipocam por todos os lados, Noite Eterna é uma grata surpresa, com seu tempero próprio, que só lendo para saber. A série Evernight chegou para ficar! Recomendo! Mas, cuidado. É viciante...

CAÇADORA DE ESTRELAS, de Claudia Gray
Minhas impressões
Já esperava ganhar o segundo livro da série Evernight, de Claudia Gray. Só não esperava encontrar o que encontrei. A autora mostrou amadurecimento da história, e seu modo de narrar continua excelente, ou ainda melhor. Ela deu continuidade sem ser repetitiva, e com agilidade. As revelações continuam, e a cada livro eu me serpreendo mais com as novidades! O final deixou um gancho perfeito para a continuação, e me deixou super ansiosa pelo próximo! Uma boa e grata surpresa foi o crescimento do Balthazar na história, bem como o aparecimento de novos e intrigantes personagens. Fiquei totalmente de boca aberta durante a leitura em alguns momentos. Enfim, Claudia Gray está mostrando que veio para ficar no mundo dos livros. Que ela continue nos surpreendendo com essa boa história.

PAIXÃO ÍNDIA, de Javier Moro
Conto de fadas.
Foi ano retrasado que li esse livro, logo, não me lembro com muitos detalhes da história. Mas eu me lembro que foi uma bela história, um verdadeiro conto de fadas, e que aconteceu de verdade!A história é bem conhecida, até mesmo banal. Uma garota pobre que se apaixona por um príncipe. Existem milhares dessas por aí, mas essa é diferente. A garota é Ana Delgado, Anita, dançarina espanhola andaluza. O príncipe, mais do que isso, é o Rajá de Kapurthala, o equivalente a um rei do interior da Índia. Ele a vê num espetáculo na Espanha e se apaixona por ela, que recusa seu amor, por achar que ele só quer comprá-la. Mas, aos poucos ela vai cedendo e acaba casando com ele apesar de todas as dificuldades, inclusive o fato de o rajá ter mais quatro esposas. No meio do amor florescente dos dois, vemos a adaptação de Anita à cultura indiana e à nova realidade que a cerca.À medida que as páginas vão sendo viradas, percebemos o esfriamento do romance. O ódio das outras esposas por ela, a européia, branca, a princesa que todos amam pela simpatia e beleza, e um novo caso de amor inusitado: a paixão entre Anita e o filho mais velho do rajá, e a paixão do próprio rajá por uma dançarina inglesa. Da alegria, das cores, do amor e da novidade da nova cultura, somos levados para um ambiente mais sombrio, frio. É o fim do amor, do conto de fadas. Anita se entrega ao enteado e acaba voltando para a Europa, porém, continua sendo ajudada pelo rajá, que não deixa que nada lhe falte. O livro de Javier Moro, trazido para o Brasil pela editora Planeta nos traz um conto de fadas real, verdadeiro e, como a própria realidade em que vivemos, imperfeito. Essa é a beleza do romance do escritor espanhol.


AS MONTANHAS DE BUDA, de Javier Moro (livro que eu ganhei com a Resenha Premiada)

Viva o Tibete livre! Vida longa ao Dalai lama!

Uma das coisas que eu mais gosto em romances de não-ficção é quando eu aprendo mais sobre outras culturas. No livro de Javier Moro eu pude saber mais sobre a cultura e a história do Tibete, o país das neves, esquecido pelo resto do mundo, mas riquíssimo em termos de espiritualidade. A história do dalai lama é incrível e sem igual! O mais legal de ler livros que contam histórias reais é que, no meio do relato, você para e pensa: "caramba, mas isso tudo aconteceu de verdade!" Fico abismada toda vez que me lembro que Kinsom e Yandol viveram, e viveram para contar sua história pessoalmente a Javier Moro, que a compartilhou com o resto do mundo! Aliás, elas ainda vivem, pois toda essa odisseia aconteceu a poucos anos atrás! Essa história ainda existe, o Tibete ainda não está livre, o dalai lama ainda está exilado! E toda aquela tortura, morte, humilhações, tudo isso aconteceu a pouco tempo! E me descubro quase chorando em algumas passagens, em cenas de tortura, etc, inclusive numa parte em que ele diz que os chineses destruíram séculos de cultura tibetana junto com livros, esculturas, e outras coisas. Eles queimaram a biblioteca!! Eram ensinamentos milenares e foram consumidos pelo fogo! Não tem como não sentir ódio dos chineses depois de ler esse livro. Depois de ler sobre os anos de Kinsom e Yandol na prisão de Gutsa, e sua travessia do Himalaia a pé até a Índia (sim, eu disse a pé!) eu aprendi muitas coisas. Aprendi que ainda existem pessoas no mundo que lutam e morrem por seus ideais, que fazem um esforço sobre humano por aquilo em que acreditam. Com um final feliz e ao mesmo tempo triste, o livro é encerrado e te deixa com vontade de conhecer aquelas pessoas. Mas a história não acaba por ali, ela continua, e cabe a nós não deixar que ela seja esquecida, e que tenha seu merecido final feliz. Enfim, amei o livro de verdade, ele me tocou profundamente e me fez ficar com vontade de saber mais sobre o drama dos tibetanos. Minhas palmas e gratidões para Javier Moro, que contou para o resto do mundo uma história que estava esquecida, fadada a desaparecer sob as neves eternas do Himalaia.

Agora estou lendo O Sári Vermelho, também de Javier Moro (já deu pra perceber que eu adoro ele, né?) que eu ganhei da Planeta por causa da Resenha Premiada. Já estou para pedir emprestado Aurora Boreal e A Princesa do Gelo. E fica o convite para todos: leiam livros da Planeta!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

"Conte-me seus pecados"

Toda vez que eu leio um livro que me deixa viciada eu simplesmente PRECISO fazer uma resenha e um post. E esse merece.

Foi numa aula de Teoria da Literatura I, num seminário sobre Realismo e Naturalismo que a professora nos recomendou que o lêssemos. E o grupo que se apresentou nos mostrou o trailer do filme. No dia seguinte eu baixei o ebook e li até não poder mais! Peguei emprestado na biblioteca da faculdade mesmo tendo que devolver no mesmo dia! Ficava pensando na história. Me atrasava para os compromissos. Até que comprei o bendito livro! E não sosseguei até ter terminado. Fiquei obcecada! Não, não estou falando de nenhum bestseller atual, nenhum chick lit, nada parecido. Estou falando de O Crime do Padre Amaro, de 1875, escrita pelo português Eça de Queirós.




Sinopse:

O que acontece quando o padre de uma pequena cidade portuguesa se apaixona por uma paroquiana? A resposta é dada nesse divertido e sarcástico romance de Eça de Queirós, autor lusitano do século 19. Amaro, o pároco, escandaliza o lugarejo e mergulha numa espiral de perdição.


Resenha:

Renda-se à vontade de Deus!

Resovi colocar como título da minha resenha uma frase dita pelo próprio Amaro, na tentativa de justificar seu crime. Que crime? Qual foi, afinal o crime do padre Amaro? Será que seu crime foi amar uma mulher? Não creio. Depois de ler todo o livro pude perceber que seu maior crime foi o egoísmo, que acabou levando Amélia ao fim que teve. Desde criança Amaro era uma pessoa conformada e egoísta. Sua protetora, ao morrer, deixou ordens para que ele fosse feito padre, e mesmo contra a vontade ele foi, pois era a maneira mais rápida e cômoda de se ganhar a vida. Mas ele nunca abandonou os prazeres da carne, coisa que outros padres também faziam. A forma como Eça de Queirós, aliás, mostrou os podres do clero deve ter causado uma grande polêmica na época. Todos os padres são mostrados corruptos em todos os sentidos da palavra, menos o abade Ferrão, que chegou ao fim da história para salvar a classe mostrando que sempre existe excessão à regra. Bem, voltando ao romance. Amaro e Amélia se apaixonam á primeira vista e fazem de tudo para viver seu amor ás escondidas. Amélia sempre com medo do castigo divino, e Amaro tentando convencê-la do contrário. Até aí, pra mim, não havia problema. Também compartilho da ideia de Amaro anti-celibato. Mas, enfim. Enquanto tudo estava bom, os encontros ás escondidas na casa de tio Esguelhas, tudo ia ás mil maravilhas. Mas, depois que Amélia se descobre grávida é que ele mostra sua face monstruosa. Ele só se preocupa com o escândalo que isso causaria à sua carreira e esquece os sofrimentos de Amélia, chegando a entregar a criança a uma tecedeira de anjos, que tinha a fama de matar as crianças que recebia aos seus cuidados. No fim, sim, ele se arrepende, mas é tarde demais. Enfim, posso ficar aqui escrevendo o dia todo! Um livro maravilhoso que me prendeu de verdade da primeira à última página. Recomendo!

A boa notícia, é que esse livro maravilhoso virou filme!! Ainda não o vi porque preciso de toda uma preparação, sabe. Tenho que estar sozinha em casa para isso e preciso de tempo também, coisa que eu não tenho.

O FILME




El Crimen del Padre Amaro estreou nos cinemas em 2002, foi dirigido por Carlos Carrera, e tem o gatíssimo Gael Garcia Bernal (suspiro) como o personagem principal, o safadinho padre Amaro, e Ana Claudia Talancón no papel de Amelia. A base ainda é a mesma, porém, a história foi totalmente modificada para se encaixar no México contemporâneo, mas sem perder a essência. Tudo isso foi o que eu li nos sites da vida, e confesso que fiquei surpresa ao perceber que, mesmo com todas as modificações feitas na história original, o filme é super elogiado pela crítica e pelo público, até mesmo pelas pessoas que leram o livro! Isso é muito raro! Chris Columbus que não me ouça, mas esse é um feito único e milagroso. Você pode mudar tudo, menos a essência da história. (ouviu, sr. Columbus?)


Bom, o ideal para quem quiser conhecer essa história maravilhosa que atravessou séculos, é ler o livro e também ver o filme, pois os dois são bem diferentes. E, eu garanto, com o livro você nao vai se arrepender. Com o filme... bem... a crítica se rasga em elogios, e o Gael é uma gracinha, então acho que nao tem erro! Divirta-se, e veja a Igreja com outros olhos...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Fim do Mistério!!


A "Tríade dos Imortais" na Revista FANTÁSTICA*



Queridos leitores, descubram a Tríade dos Imortais


na Revista FANTÁSTICA que acaba de ser disponibilizada.



Leiam e divirtam-se, está incrível!

http://revistafantastica.webs.com/



quarta-feira, 19 de maio de 2010

A Tríade... dos Imortais!

O Segredo Ancestral me foi revelado pelo Oráculo Imortal...

Mortais, tremam diante dessa nova Presença...
Quer saber o que é?
Aguarde... Em breve.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Que a Luz de Radrak esteja sobre você.

Olha nós aqui outra vez! Depois de um longo e tenebroso inverno, estou de volta, porque vocês, meus 7 seguidores sabem que eu só escrevo sobre o que realmente importa. E livro bom me importa e MUITO!




(Música de filme ao fundo) Tudo começou quando minha amiga Dominique me enviou o link da sinopse do livro no Skoob. Essa aqui, ó: http://www.skoob.com.br/livro/sobre/6625. E imediatamente eu me interessei. É bem o meu tipo de livro. Logo depois minha amiga me disse que este livro estava no concurso da Viciados em Livros, aqui ó: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=82025. Resolvi participar. E ganhei! Com uma resposta cretina, é verdade, mas ganhei! Fiquei tão feliz! Agradeci tanto a Deus, ou melhor, a Radrak por ter me abençoado com esse livro! Quando o recebi fiquei super feliz! Veio até autografado! Chiquérrimo.
Demorei um pouco pra ler, confesso. Tinha muitos livros na fila. Mas trocava figurinhas com o autor, o simpaticíssimo Leandro Reis, pelo MSN, que sugeriu, quando eu disse que irira devorar o livro, que eu o devorasse com mostarda. Hehehe. E agora eu o terminei, finalmente! E cada página valeu a pena.

Minha resenha no Skoob, recém-saída do forno:

"O que dizer de Os Filhos de Galagah? Desde a primeira vez que eu li a sinopse achei que ele era a minha cara. E era mesmo! Um livro de fantasia da melhor qualidade. E o melhor: completamente nacional! Eu, como boa viajante que sou, adoro conhecer novos lugares, e logo que me embranhei em Grinmelken fiquei perdidamente apaixonada! Como boa amante de fantasia, amei os elfos, vampiros e outros seres espetaculares. E logo que vi Iallanara, foi amor à primeira vista... Sou suspeita pra falar, porque simplesmente amo personagens conturbados, divididos entre o Bem e o Mal. Mas a Nara, ela é ótima! Ela tem carisma, é engraçada, revoltada, sarcástica... Posso ficar aqui a tarde toda tecendo elogios! Acho que, se ela um dia se encontrasse com o Murtagh, de Paolini, eles teriam muito o que conversar. Também me apaixonei pelo Gawyn, hilário, que me fez dar boas gargalhadas. E pelo Sephiros também porque... simplesmente porque tenho uma tara por elfos. (confesso) e a Galatea é a mocinha que toda história do gênero devereia ter. Forte, decidida, tem fé. Ela luta pelo que acredita, é uma guerreira, e não é só um rostinho bonito e um sorriso simpático não! A garota manda ver nas lutas! Ah, mas não posso deixar de citar os personagens que me fizeram morrer de medo! E não são poucos! Mas os principais foram Sukemarantus, Merkanos e Enelock. Enfim, aplaudo de pé quem tem a capacidade de criar novos mundos tão fantásticos e fazer nos apaixonarmos por eles! Tiro meu chapéu para Leandro Reis e recomendo Os Filhos de Galagah para todos os amantes de fantasia e boa leitura."

PERSONAGENS:

GAWYN:

Um elfo criado por humanos. Sempre com uma maçã nas mãos, o divertido espadachim garante as maiores risadas do livro. Ele é fera em agarrar todo e qualquer objeto que for arremessado nele, principalmente flechas e adagas. Melhor amigo de Sephiro.




SEPHIROS:

Um elfo-mago forjado para a batalha. Sua seriedade é equilibrada com as palhaçadas de seu amigo Gawyn. Sempre atento a tudo, inteligente e guerreiro. Tem sempre boas ideias e, principalmente, bons truques na manga.



IALLANARA:

Também conhecida como Bruxa Vermelha, é uma mulher de passado sombrio e alma indecifrável. Entra na aventura para se proteger de seu mestre, Sukemarantus. Tem sempre algo irônico ou sarcástico para dizer. Que me desculpem os outros, mas ela é minha personagem favorita. :-)


E por fim, mas não menos importante:


GALATEA:

Nossa mocinha é uma guerreira, Campeã Sagrada do deus da luz, Radrak. Princesa de Galagah, bela e doce, seu dever é lutar contra as forças do Mal representadas pelo demoníaco Enelock. E tudo isso sem perder a simpatia!




Book Trailer do livro:


O PAI DA CRIANÇA:


O cara tem só 29 anos, com essa carinha de 18 e já criou todo um mundo mágico! Já realizou um sonho, que foi publicar Os Filhos de Galagah em 2008, e agora aguarda ansiosamente (como eu) o lançamento de O Senhor das Sombras, continuação dessa obra magnífica. Ele mora em São José dos Campos, SP. O nome dele é Reis, Leandro Reis, mas se você chamá-lo de Radrak ele também atende. E tal qual o deus da Luz da história, ele tece com maestria o destino dos personagens, e nos deslumbra com um mundo fantástico que saiu totalmente de sua cabecinha criativa a uma década atrás. Nesse site: http://www.grinmelken.com.br/index.html mais sobre as obras do "Mensageiro".



E, daqui a 6 dias, lançamento da continuação, aguardadíssima, O Senhor das Sombras.




O Senhor das Sombras é o segundo volume da trilogia “Legado Goldshine”, iniciada por Leandro Reis em Filhos de Galagah. Neste livro, o autor dá continuidade à missão de Galatea na busca pela segunda runa. A aventura, agora, toma proporções épicas, e muitos mistérios deixados pelo primeiro volume, Filhos de Galagah, são respondidos, além das novas intrigas que são acrescentadas à trama.Nesta sequência, Leandro Reis aprofunda o drama da bruxa vermelha, Iallanara Nindra, que, exposta aos seus maiores conflitos, é obrigada a fazer uma escolha crucial: matar sua única amiga e protetora, ou traí-la? Sukemarantus, manifestação do Mal, que tem o poder de controlar toda sorte de criaturas das trevas, lança mão de seus recursos mais vis para atingir seus sombrios objetivos.Enquanto isto, a busca de Galatea segue por rumos inimagináveis, levando-a às tribos bárbaras das planícies do sul, uma sociedade ímpar e desunida, berço de poderosos guerreiros, essenciais para o sucesso desta nova cruzada.Em O Senhor das Sombras, inúmeros desafios testarão nossos heróis fantásticos. Muitos sacrifícios serão necessários, enquanto o maior dos perigos se esconde dentro do próprio grupo. Nessa aventura, o fracasso espreita, ávido por um simples deslize, escondido nos cantos mais improváveis da história.




Ficou com medo? Eu também! E ansiosa!


Enfim, não gosto de ficar falando muito sobre um livro, senão estraga toda a surpresa. Se ficou curioso, leia! Os Filhos de Galagah está á venda nas melhores livrarias, e O Senhor das Sombras está prontinho pra sair do forno no dia 20 de maio. Semana que vem! Mas, se você não quiser esperar muito, adquira seu exemplar pela pré-venda. Você encotra o Leandro aqui: http://twitter.com/Radrak e aqui grinmelken@hotmail.com Maiores informações aqui ó: http://grinmelken.blogspot.com/2010/05/pre-venda-o-senhor-das-sombras.html
Divirta-se, e perca-se em Grinmelken! ;-)
E que a Luz de Radrak esteja sempre com vocês. Mesmo em meio às sombras...

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Quem diria... Lúcifer!

E lá vamos nós de novo para mais um post literário! Eba!! Dessa vez não vou esperar muito para fazer logo o post do último livro que eu li: Anjo, a Face do Mal, de Nelson Magrini.




Eis aqui a sinopse do livro via Skoob:


"No início da Criação, a Potencialidade se manifestou sob a forma de dois princípios, um de Ação e outro de Oposição. A Ação se divide em Poder, Eternidade e Fogo e a oposição em dois pontos. Um deles evoluiu e deu origem ao universo de matéria e todas as formas de vida; o outro, deu origem a um ser poderoso e indecifrável chamado Lúcifer, que vive no Astral (mundo espiritual) junto com os Anjos e Demônios. O livro conta a história do que acontece quando, infinitas eras após o início da Criação, o Princípio da Oposição irá se dividir novamente. Os Anjos são contra essa nova divisão e os demônios a favor. Essa tensão ameaça eclodir em uma guerra entre Anjos e Demônios que devastaria a Criação."


Fonte:
http://www.skoob.com.br/livro/sobre/6604/ANJO_A_FACE_DO_MAL



Agora, minha humilde resenha:

"Quem diria... Lúcifer!

Acabei de acabar a leitura de Anjo, a face do mal, e minha cabeça ainda não voltou para cima do meu pescoço. Ainda estou vendo tudo rodando e de cabeça pra baixo. Tudo o que você aprendeu desde a sua infância, deixe de lado (por ora) e mergulhe de cabeça nesse mundo louco criado por Nelson Magrini. Mas, devo adverti-lo, quando você voltar à tona não será a mesma coisa.

O livro é muito interessante, tenso, intenso, macabro! E também engraçado. (quem diria) As brigas entre Obaluaê e Serronsô são hilárias! Me lembrou muito Os Guardiões do Tempo (que saudade) Sim! Você leu certo. Eu acabei de citar dois orixás! Até eles estão no meio dessa bagunça, junto com oguns e eguns, anjos, demônios, santos e até um faraó! E tudo regado à muita Física. Sim, Física. É, eu disse que é de virar a cabeça...
Algumas coisas eu penso que não ficaram muito bem amarradas, e alguns personagens e situações não deveriam ter aparecido. Senti falta do tenente Rafael no final, fiquei sem saber o que aconteceu com ele e sua equipe. Mas isso são apenas detalhes diante da grandiosidade da loucura proposta por Magrini.

Sentimentos ambíguos. Foi isso que o livro me proporcionou. Tem horas que você sente raiva de determinado anjo, e torce por um orixá! Mas quem foi que disse que eles são do mal? E no final, mais uma vez o dia foi salvo, graças a... Lúcifer! É, ele mesmo! O ser de energia sem igual, que apenas observa, com toda a sua frieza e elegância que deixou minha amiga Nana com os quatro pneus arriados. Você se vê torcendo loucamente por ele ao longo do livro. É, quem diria... Lúcifer! Mas agora é hora de voltar para a vida real. Mas, garanto, não será fácil... "




Vamos falar um pouco da história:

No nosso querido planetinha azul, uma luz começa a aparecer. Aos que a veem ela transmite paz e serenidade... momentos antes de estraçalhar seus corpos! Algo tão terrível, uma afronta tão grande à natureza que a própria realidade "sangra" na sua presença. E as consequências do aparecimento desse "anjo" abalam Céus, Terra e Inferno.
No Céu os arcanjos decidem que essa força deve ser eliminada, antes que ela gere uma nova divisão no Princípio da Oposição, com medo do que isso poderia causar. Alguns anjos são a favor de uma intervenção direta, outros são contra.
No Inferno, os demônios querem impedir que os anjos destruam a divisão, por verem possibilidades nela. Alguns também são contra, mas mesmo assim a guerra é declarada.
Na Terra a mídia começa super expor o assunto. Algumas pessoas se envolvem diretamente com o fenômeno: o tenente Rafael, da polícia de São Paulo, o chefão do tráfico de armas Casimiro, e por fim a menina Carol.
Também há algumas entidades que não estão a favor nem dos anjos, nem dos demônios, e vão fazer de tudo para impedir uma guerra. Nesse grupo estão santos, orixás, oguns e até mesmo um faraó. esse grupo também garantirá algumas boas risadas durante a leitura.
E alheio a tudo isso está um ser sem igual, uma entidade de poder inigualável, que apenas observa, estuda e analisa propabilidades. Seu nome é Lúcifer. E aliado a ele está o humano Lucas, que será peça fundamental na trama e terá um destino espetacular!



Quanto a Lúcifer:

Bom, antes de começar a ler o livro temos que deixar nossas convicções e tudo o que aprendemos um pouco de lado e abrir os olhos para as possibilidades. Faça isso e, daqui a algumas páginas você estará torcendo loucamente por ele. Minha amiga Nana ficou seriamente apaixonada por ele, por sua frieza, elegância e postura. Afinal, ele não precisa de muita coisa para impor respeito, né? Convenhamos... E o modo como ele se mostra na Terra, bem, é mesmo de deixar qualquer uma caidinha. Suas conversas com Lucas nos deixam de queixo caído! E seus feitos também, lógico!
Ao lado, minha visão de Lúcifer by Google.





Ficou curioso? Então leia logo e você não vai se arrepender! E você pode adquirir o seu exemplar diretamente com o autor! O custo é R$ 25,00 + frete, e o livro já vem autografado. Visite a página do Nelson no Skoob http://www.skoob.com.br/usuario/mostrar/22901 para saber mais. Ao lado, foto do autor.





"E mais uma vez o dia foi salvo, graças a... Lúcifer!"
É, quem diria...

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Oráculo da Solidão


Solidão eterna
O silêncio me fere de modo irremediável
Como uma espada fria,
Forjada em Dias Antigos
Fora da memória do tempo.
Minha vida parece uma estrada
Que segue sem parar para a beira do abismo
Solitária, fria e vazia
Uma criança em busca de um conto de fadas
Uma donzela esculpida em mármore
Inatingível a mãos humanas.
Em meu coração despedaçado
Ecoam canções de um amor que não existe
Lágrimas são como doce ambrosia
Que transformará em divino
O amor intocado pelo pecado
Minha triste vida não deixará marcas neste mundo
Aqueles que virão não contemplarão minha descendência
Estou morta para a eternidade...

Eu rezei por amor.
Rezei por esperança,
Rezei pelos demônios que me assombram
Mas ainda assim ando sozinha

Eu somente quero sentir que o Sol ainda brilhará
Que a cura existe.
Quero ouvir o arauto dos anjos
Dizendo entre o som das trombetas
Que a escuridão finalmente cessou
E que um novo dia chegou.


In 04/09/2006

Por Karine Coelho







"A Solidão é como uma agridoce ambrosia.
Ela é minha amiga, minha parceira
Minha consorte.
Ela é minha bruxa e meu príncipe encantado
A vilã e a mocinha
E eu a amo, e a odeio.
Não posso viver sem ela..."




Algumas pessoas chamam de maldição. Outras de tristeza. Mas eu chamo de bênção.
Alguns chamam de carência, outros de "encalhada". Mas eu chamo de escolha.
Não pense que é doce todo dia. Ás vezes é bem amargo. Mas é uma doce amargura.
Não é tristeza. É algo de divino.
Na solidão você encontra Deus. Na solidão você se encontra.
Não banque o Cupido comigo, porque você não vai conseguir.
Um dia pode ser que eu encontre alguém. Pode ser que não. Eu não tenho medo da solidão. Ela é minha amiga.











Eu Caminho Sozinha


Coloque todos os seus anjos a beira do abismo
Guarde todas as rosas, eu não estou morta
Eu deixei um tormento sob sua cama
Eu nunca me fui
Vá dizer ao mundo que eu ainda estou por aqui
Eu não voei, eu estou vindo a baixo
Você é o vento, o único som
Sussurre para meu coração
Quando a esperança estiver acabada
E ninguém pode te salvar

Eu caminho sozinha
Cada passo que dou
Eu caminho sozinha
Minha tempestade de inverno
Mantendo-me acordada
Nunca se vai
Quando eu caminho sozinha

Volte a dormir para sempre
Bem longe dos tolos e tranque a porta
Eles estão por aí e eles darão a certeza de que
Você não tem que ver
O que eu acabei me tornando
Ninguém pode te ajudar

Eu caminho sozinha
Cada passo que dou
Eu caminho sozinha
Minha tempestade de inverno
Mantendo-me acordada
Nunca se vai
Quando eu caminho sozinha


Esperando acordada no céu
Eu nunca estive longe de você
Girando em direção ao chão eu sinto todos seus movimentos
Eu caminho sozinha

Eu caminho sozinha
Cada passo que dou

Eu caminho sozinha
Minha tempestade de inverno
Mantendo-me acordada
Nunca se vai
Quando eu caminho sozinha


Tarja Turunen

I Walk Alone

Álbum: My Winter Storm




















"Adentro a floresta.

A noite me chama com sua doce voz.

Nenhum som, apenas o vento

A Lua e as estrelas sobre mim.

Me observando

Me guiando

De repente, a luz se vai

A escuridão me abraça

Eu não tenho medo

Sob meus pés a terra de meus ancestrais

No purpúreo céu divinal

A Lua ainda me observa

A escuridão é macia

E eu sorrio...

Eu caminho sozinha pela floresta

Eu caminho sozinha pela vida

Não quero sua pena

Não preciso de amor

Minha alma é solitária

E assim ela será"