terça-feira, 2 de março de 2010

LadyGaGuices

Resolvi falar de um assunto mundialmente comentado e também fazer meu primeiro post sobre música. Vou falar de uma pessoa (?) que prendeu todo o mundo em suas garras musicais. Hoje vou postar sobre Lady GaGa!



Tudo começou com um despretensioso e chicletoso hit: Just Dance. A música invadiu as rádios do mundo todo como uma praga de gafanhotos enlouquecida. Pra mim aquela tal de Lady GaGa era mais uma cantorazinha pop de nome bizarro á procura dos seus quinze minutos de fama. Não iria durar muito. Até aí eu ainda não tinha visto a cara da criança e não imaginava o que estava por vir. Eu não imaginava que aquele seria o primeiro passo para a dominação do mundo.



Depois dessa veio outra canção: Poker Face. Com um refrão que gruda nos ouvidos, a música tomou as rádios de assalto pouco tempo depois da primeira. Com uma repetição bizarra de "mo, mo, mo, mo" e "po, po, po, po", tal qual uma galinha pondo ovo, GaGa começou a subir mais um degrauzinho no Hall da Fama. Foi nessa época que eu a vi pela primeira vez. Quando eu me deparei com esse clipe pensei: "que diabo é isso?" Era a coisa mais bizarra que eu já tinha visto nos últimos anos. Naquele dia eu tive a certeza de que aquela mulher (?) não era humana. Mas esse é outro assunto.



Depois de Poker Face veio Love Game. A música também é muito boa e altamente contagiante. Já o clipe, como sempre, é um espetáculo à parte. Esse é bem quente, inclusive com cenas de sexo a três (One, two, three, Peter, Paul and Mary... Ops, desculpa! Momento Britney, hehehe) e uma cena em que ela beija uma mulher (eca! Nada contra, mas... Eca!) Na verdade no começo é um homem, depois vira uma mulher... Uma maluquice. Uma GaGuice.




Próxima canção: Paparazzi. Pra mim, uma das melhores dela. Eu a conheci já através da MTV e amei o clipe de primeira! Ele tem uma violência elegante, com umas mulheres mortas cheias de glamour. Uma coisa sombria, meio gótica, totalmente glamourosa. Foi nesse clipe que eu comecei a reparar que Lady GaGa não parece humana. Desde o começo, onde um dançarino a segura como se ela fosse um manequim de loja até o final, onde ela aparece igualzinho uma boneca esquisita. Foi com essa música que ela se apresentou no último VMA. Foi um show apoteótico, digno da rainha da esquisitice. Ao fim ela acabou "morta", pendurada sobre o palco, com sangue saindo pelos olhos, por todos os lados. Nojento. E assustador. Tanto que foi duramente criticado nos EUA, por mostrar o suicídio de uma forma glamourosa num país onde isso é praticamente moda entre os jovens.




Depois dessa veio a antológica parceria com Beyoncé em Video Phone. Foi a pior coisa que ela poderia ser feito. Por que? Simplesmente porque ela ficou totalmente ofuscada pela Beyoncé! Ela desaparece ao lado dela. Quem é aquela branquela azeda desmilinguida ao lado da exuberância e abundância de tia Bee? A música sem ela fica totalmente sem graça, mas no clipe ela não passa de uma mera coadjuvante. Se eu fosse ela eu teria aprendido a lição. Nunca entre num clipe com uma cantora mais bonita/talentosa/gostosa que você.



Agora, o último single: Bad Romance. Quem nunca se pegou resmungando: "Ro, ro, ro, ro, ro. Romah, romamah. Gaga, uh lá lá. Want your bad romance" que atire a primeira pedra. Eu mesma de vez em quando me pego cantarolando isso! Mais uma prova de que ela planeja dominar o mundo fazendo uma lavagem cerebral nas pessoas. E o pior é que eu fui pega! Agora, o clipe desta canção merece um parágrafo à parte.



Na primeira vez que eu vi o clipe eu pensei: nesse ela se superou! O clipe é uma ode à excentricidade, uma antologia à esquisitice. Ela vai ter que desdobrar para se superar. Eu confesso, também que eu tive medo dela. Quando ela sai daquele negócio parecendo um ET eu fico toda arrepiada! Mas também foi aí que eu percebi tudo. Nesse clipe, Lady GaGa mostra ao mundo como ela foi criada! Não é óbvio? Foi assim que ela nasceu. Ela não é humana, é um robô criado pela indústria fonográfica para massificar as jovens mentes da Terra. E o pior é que já está dando certo. Uma prova? No jornal O Globo de 21/02, na Revista da Tv, saiu uma pequena nota sobre Lilly Allen, com ela dizendo que queria ser igual à Lady GaGa! Viu só? As cantoras do mundo já estão tentando imitá-la! Qual é o próximo passo?



Bom, o fato é que dela eu acredito que venha qualquer coisa. Depois de distribuir mechas de cabelo no seu novo cd e de anunciar que é hermafrodita, eu não duvido mais de nada! Até aparecer nas Retospectivas 2009 da Globo ela apareceu! Isso é que é moral! Vamos ver qual é a próxima GaGuice que ela vai aprontar.


Agora, alguns fatos sérios sobre ela:

O nome verdadeiro da criatura: Stefani Joanne Angelina Germanotta (não, ela não nasceu na Itália e sim em Nova York, mas é filha de um casal de ítalo-americanas)


Data de Nascimento (?): 28 de março de 1986 (e ainda faz aniversário um dia antes de mim! Parabéns pra nós!)

De onde veio o nome artístico: Da música Radio Ga Ga, do Queen, uma das influências da cantora.

Para mais informações acesse:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lady_Gaga

Afinal, isso aqui é um blog, não uma enciclopédia virtual! :-)

Agora, se você quiser rir:
http://desciclo.pedia.ws/wiki/Lady_gaga

Fui!

"Gaga, uh lá lá. Want your bad romance..."

Sorry :-)

2 comentários:

Dominique disse...

Ehhhhhh, aprendeu a mexer no blog. Parabéns, migggga.

Agulha3al disse...

adorei seu blog e tô assinando o feeds!!! parabens pelo trabalho, gostei bastante do layot!!! E sobre a lady até minha filha de 9 anos tá cantando direto as músicas dela!!!

Postar um comentário